Terms & Conditions

We have Recently updated our Terms and Conditions. Please read and accept the terms and conditions in order to access the site

Current Version: 1

Privacy Policy

We have Recently updated our Privacy Policy. Please read and accept the Privacy Policy in order to access the site

Current Version: 1

Tecnologia

Conheça 5 coisas sobre o novo detector de poeira mineral da NASA

Chamada EMIT, a Investigação de Origem da Poeira Mineral da Superfície da Terra analisará a poeira transportada pela atmosfera de regiões secas para ver quais efeitos ela tem no planeta.

Todos os anos, ventos fortes transportam mais de um bilhão de toneladas métricas – ou o peso de 10.000 porta-aviões – de poeira mineral dos desertos da Terra e outras regiões secas através da atmosfera. Embora os cientistas saibam que a poeira afeta o meio ambiente e o clima, eles não têm dados suficientes para determinar, em detalhes, quais são esses efeitos ou podem ser no futuro – pelo menos ainda não.

Lançado na Estação Espacial Internacional em 9 de junho, o instrumento de Investigação de Origem Mineral da Superfície Da Terra (EMIT) da NASA ajudará a preencher essas lacunas de conhecimento. O espectrômetro de imagem de última geração da EMIT, desenvolvido pelo Laboratório de Propulsão a Jato da agência no sul da Califórnia, coletará mais de um bilhão de medições de composição de fontes de poeira em todo o mundo ao longo de um ano – e, ao fazê-lo, avançará significativamente a compreensão dos cientistas sobre a influência da poeira em todo o sistema terrestre.

Identificará a composição do pó mineral das regiões áridas da Terra

Regiões do deserto produzem a maior parte da poeira mineral que entra na atmosfera. Eles também são em grande parte remotos, tornando difícil para os cientistas coletar amostras de solo e poeira sobre essas vastas áreas à mão.

A partir de seu poleiro na estação espacial, a EMIT mapeará as regiões de origem de poeira mineral do mundo. O espectrômetro de imagem também fornecerá informações sobre a cor e a composição das fontes de poeira globalmente pela primeira vez. Esses dados ajudarão os cientistas a entender quais tipos de poeira dominam cada região e avançarão sua compreensão do impacto da poeira no clima e no sistema terrestre hoje e no futuro.

Vai esclarecer se a poeira mineral aquece ou esfria o planeta

Ative as legendas para uma melhor experiência. Créditos: NASA/JPL-Caltech

Neste momento, os cientistas não sabem se a poeira mineral tem um efeito cumulativo de aquecimento ou resfriamento no planeta. Isso porque partículas de poeira na atmosfera têm propriedades diferentes. Por exemplo, algumas partículas podem ser vermelhas escuras, enquanto outras podem ser brancas.

A cor importa porque determina se a poeira absorverá a energia do Sol, como os minerais de cor escura fazem, ou a refletem, como os minerais de cor clara. Se mais poeira absorver a energia do Sol do que refletir, aquecerá o planeta, e vice-versa.

Emit fornecerá uma imagem detalhada de quanta poeira vem de minerais escuros versus claros. Essa informação permitirá que os cientistas determinem se a poeira aquece ou esfria o planeta em geral, bem como regional e localmente.

Ajudará os cientistas a entender como a poeira afeta diferentes processos da Terra

Funcionários da NASA e da JPL supervisionam testes de vibração do instrumento científico EMIT, incluindo seu telescópio e espectrômetro de imagem. Créditos: NASA/JPL-Caltech

Partículas de poeira mineral variam de cor porque são feitas de diferentes substâncias. O pó mineral vermelho escuro obtém sua cor de ferro, por exemplo. A composição das partículas de poeira afeta a forma como interagem com muitos dos processos naturais da Terra.

Por exemplo, o pó mineral desempenha um papel na formação de nuvens e química atmosférica. Quando a poeira mineral é depositada no oceano ou florestas, ela pode fornecer nutrientes para o crescimento, agindo como fertilizante. Quando cai sobre a neve ou gelo, a poeira acelera o derretimento, levando a mais escoamento de água. E para os humanos, a poeira mineral pode ser um risco para a saúde quando inalada.

A EMIT coletará informações sobre 10 variedades importantes de poeira, incluindo aquelas que contêm óxidos de ferro, argilas e carbonatos. Com esses dados, os cientistas poderão avaliar precisamente quais efeitos o pó mineral tem sobre diferentes ecossistemas e processos.

Seus dados melhorarão a precisão dos modelos climáticos

Na ausência de dados mais específicos, os cientistas atualmente caracterizam a poeira mineral nos modelos climáticos como amarelo – uma média geral de escuro e claro. Por causa disso, os efeitos que a poeira mineral pode ter sobre o clima – e que o clima pode ter sobre o pó mineral – não estão bem representados em modelos de computador.

As informações de cor e composição coletadas pelo EMIT mudarão isso. Quando os dados do instrumento são incorporados, espera-se que a precisão dos modelos climáticos melhore.

Isso ajudará os cientistas a prever como os cenários climáticos futuros afetarão o tipo e a quantidade de poeira em nossa atmosfera

À medida que as temperaturas globais aumentam, as regiões áridas podem se tornar ainda mais secas, possivelmente resultando em desertos maiores (e mais empoeirados). Até que ponto isso pode acontecer depende de vários fatores, incluindo o aumento das temperaturas, como o uso da terra muda e como as tendências de chuva mudam.

Ao incorporar os dados globais de composição da fonte de poeira da EMIT em modelos e previsões, os cientistas terão uma melhor compreensão de como a quantidade e a composição da poeira em regiões áridas podem mudar em diferentes cenários climáticos e de uso da terra. Eles também terão uma melhor compreensão de como essas mudanças podem impactar o clima no futuro.

Mostrar mais

Nelsir Luterek

Empresário, colunista, especialista em TI, mentor, CTO e consultor estratégico em inovação.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo