Terms & Conditions

We have Recently updated our Terms and Conditions. Please read and accept the terms and conditions in order to access the site

Current Version: 1

Privacy Policy

We have Recently updated our Privacy Policy. Please read and accept the Privacy Policy in order to access the site

Current Version: 1

Segurança & Privacidade

Hacks pró-ucranianos excluíram 2 petabytes de dados de centro de pesquisa russo

0:00

A Diretoria Principal de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia afirma que hackers pró-ucranianos violaram o Centro Russo de Hidrometeorologia Espacial, também conhecido como “planeta”, e limparam 2 petabytes de dados.

O Planeta é um centro de pesquisa estadual que usa dados de satélites espaciais e fontes terrestres, como radares e estações, para fornecer informações e previsões precisas sobre tempo, clima, desastres naturais, fenômenos extremos e monitoramento vulcânico.

A agência é afiliada à Roscosmos, a agência espacial da Rússia, e apoia setores como militar, aviação civil, agricultura e marítimo.

Em outro caso de invasão afiliada ao Estado, a Ucrânia diz que voluntários cibernéticos conhecidos como “Equipe BO” violaram com sucesso a filial do Extremo Oriente da Planeta (a maior das três).

Embora o governo ucraniano não indique se eles estavam envolvidos no ataque, eles afirmam que os hackers destruíram 280 servidores usados pelo centro de pesquisa, que detinham 2 petabytes de dados (2.000 terabytes).

Esse enorme volume de informações seria difícil e caro de armazenar em backups, portanto, se as alegações da Ucrânia forem verdadeiras, este é um ataque catastrófico à Planeta.

O serviço de inteligência ucraniano diz que os danos da perda de dados são estimados em US$ 10.000.000, impactando o funcionamento de clusters de supercomputadores e também anos de pesquisa.

Entre os dados destruídos estão dados meteorológicos e de satélite, que foram usados ativamente em modo constante pelo Ministério da Defesa e MNS RF, Roscosmos e vários outros órgãos estaduais-agressores, bem como anos de pesquisa única“, diz o anúncio.

O trabalho dos supercomputadores equipados no centro de pesquisa está paralisado e não pode ser totalmente restaurado.

Os ucranianos enfatizam que, dadas as restrições impostas pelas sanções, que limitam severamente a capacidade da Rússia de restaurar sistemas de computador e software sofisticados, este incidente representa um desafio formidável para o centro de pesquisa superar.

Além disso, o ataque cibernético supostamente paralisou todos os sistemas de climatização e fornecimento de energia no prédio principal da Planeta e cortou a estação baseada na ilha de Bolchevique da rede.

Ataques como esses, que são promovidos, se não patrocinados, pelo governo ucraniano, não são inéditos, já que ele admitiu realizar operações em meses anteriores com o objetivo de sabotar agências cruciais na Rússia.

Em novembro do ano passado, o serviço de inteligência da Ucrânia hackeou a Agência Federal de Transporte Aéreo da Rússia, ‘Rosaviatsia', e vazou arquivos expondo um estado de colapso do setor de aviação do país.

Mais tarde, em dezembro, os ucranianos alegaram uma violação do Serviço Federal de Tributação da Rússia (FNS), limpando o banco de dados da agência e cópias de backup.

Nelsir Luterek

Empresário, colunista, especialista em TI, mentor, CTO e consultor estratégico em inovação.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
X