Terms & Conditions

We have Recently updated our Terms and Conditions. Please read and accept the terms and conditions in order to access the site

Current Version: 1

Privacy Policy

We have Recently updated our Privacy Policy. Please read and accept the Privacy Policy in order to access the site

Current Version: 1

Viagem & Turismo

Filho do fundador da TAM anuncia nova companhia aérea brasileira

0:00

Seguindo os passos de seu pai, Rolim Amaro, que foi um dos fundadores da TAM, o empresário Marcos Amaro decidiu expandir seus negócios e abrir uma companhia aérea de voos regulares.

Voltar às origens é literalmente o que ele pretende fazer agora, segundo revelou em entrevista à NeoFeed, já que está no comando da Amaro Aviation, a mais nova empresa de táxi aéreo do país, que cresce a passos largos e quer se tornar uma espécie de NetJets à brasileira.

Cessna C208 Caravan TAM AeroIcarus 696x464 1
Cessna Caravan da época da TAM, na subsidiária do Paraguai – Imagem: AeroIcarus

A Amaro Aviation, que leva o forte sobrenome do fundador da TAM, começou suas operações há poucos meses como táxi aéreo e já encomendou 12 aviões suíços, sendo 4 jatos Pilatus PC-24 e 8 turboélices PC-12NGX.

Agora, Marcos comprou a fatia de David Barioni (ex-comandante e ex-CEO da TAM) e da C-FLY Aviation, passando a deter 90% na Amaro Aviation junto de sua esposa, também sócia da empresa.

Mas a grande novidade ficou por conta do anúncio da Alfa Air, que será uma empresa aérea com voos regulares (regulamentação 121 na ANAC, igual da Azul, GOL e LATAM, por exemplo).

Inicialmente a empresa deverá operar com três turboélices Cessna C208 Caravan, iguais aos que a futura concorrente Azul Conecta opera. A sede também será igual da concorrente: o Aeroporto de Jundiaí, também sede da DUX Logistics, outra estreante operadora do venerado Caravan.

Por sinal, a própria Amaro Aviation está de mudança, saindo do Aeroporto São Paulo Catarina para o novo hangar adquirido por Marcos em Jundiaí.

Atualmente, o Caravan, por questão de certificação inicial feita décadas atrás, opera apenas com 9 passageiros no Brasil e nos EUA, mas em alguns países leva até 14 passageiros. Marcos citou essa capacidade de clientes em sua entrevista, levantando perguntas sobre uma possível mudança de certificação do modelo.

O foco da Alfa Air será nas rotas regionais a partir de São Paulo, e a empresa pretende começar ainda neste semestre. O executivo afirma que está perto de conseguir a autorização na ANAC, mas, segundo fontes consultadas pelo AEROIN, não há no momento nenhum novo processo de homologação de empresa de transporte aéreo regular na agência.

Por Aeroin

Cassio Felipe

Professor, Escritor e Jornalista Especialista em Relações Internacionais e Diplomacia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
X